Blog da Galera: Meninas criaram o ‘Elas por Elas’ pra não andarem sozinhas

Aniké Pellegrini, da Galera CH, conta um pouco sobre o 'Elas por Elas', movimento que luta por mais segurança nos transportes e vias públicas.

Por Da Redação 31 ago 2018, 14h15

Oi, gente! Tudo bem? Mais uma vez é a Aniké Pellegrini e, nesse mês de agosto, assisti de perto a criação do movimento social “Elas por Elas“, que resultou da união de meninas de diferentes escolas, mais especificamente dos colégios da Zona Sul de São Paulo, contra a onda de assédios e abusos nos transportes públicos.

Reprodução/Instagram

Como pudemos acompanhar por meio das redes sociais, muitos casos de assédios e estupros no transporte público e redondezas ocorreram no final de agosto. Esses crimes, infelizmente, estão incrustados na sociedade brasileira e não é de agora, mas o grande número em tão pouco tempo gerou muito medo e preocupação, além de também união e elaboração de medidas preventivas.

https://www.instagram.com/p/Bm9NaMbg8aH/?taken-by=elasporelassp

Essa movimentação social feminina originou principalmente o “Elas por Elas” que, além de trazer visibilidade ao assunto, também criou grupos de WhatsApp para que garotas de uma mesma região e que fazem o mesmo percurso se conectem e não andem sozinhas. Além disso, o coletivo também organizou uma manifestação que se concentrou no Vão Livre do MASP e saiu em direção à central do metrô, no bairro Vergueiro, na última quinta-feira (30).

Continua após a publicidade

Com toda certeza, eu estava lá. Fui apoiar a causa que reivindica a segurança no transporte e vias públicas, seja no metrô, ônibus, rua ou avenida, e prestigiar o trabalho das minhas amigas, que é cansativo e voluntário, mas vale muito além de ouro… Vidas! Mais que perfis de Instagram e grupos de WhatsApp, elas também mapearam em São Paulo os locais de proteção a mulher, postos policiais e estão desenvolvendo o mapa com os locais apontados como mais perigosos.

https://www.instagram.com/p/Bm_9pipgR20/?taken-by=elasporelassp

Todos os materiais que elas prepararam estão disponíveis no perfil do Instagram (@elasporelassp). Vale ressaltar que a página de Sampa motivou a criação do mesmo projeto em outros locais do Brasil, como Bahia (@elasporelasba), Sergipe (@elasporelasse) e Rio de Janeiro (@elasporelasrj).

Beijos,
@keke_bp

 

Continua após a publicidade

Publicidade