Tudo que você precisa saber sobre a vacina contra o HPV

Tire suas dúvidas sobre o assunto

Por Da Redação - Atualizado em 20 mar 2018, 20h14 - Publicado em 18 dez 2015, 16h44

Você já deve ter ouvido falar: o governo lançou no começo do mês uma campanha nacional de vacinação contra o HPV no Brasil.

Em 2014, meninas que tiverem entre 11 e 13 anos poderão ser vacinadas gratuitamente nos postos de saúde e também em muitas das escolas públicas e privadas. Mas… pera aí: será que essa vacina é mesmo importante? Será que eu devo mesmo tomar?

Tire abaixo todas as suas dúvidas.

Foto: Thinkstock

Por que o HPV é tão perigoso?

Porque ele é um vírus muito comum e alguns tipos estão diretamente relacionados ao câncer do colo de útero – um dos cânceres que mais mata mulheres no Brasil.

Como ele é transmitido?

Principalmente por via sexual. O contágio se dá através do contato de pele com pele ou pele com mucosa. Ou seja, nem precisa haver penetração para haver transmissão. Estima-se que, dois anos após o início da vida sexual, 50% das meninas já estejam infectadas pelo HPV. Mas, geralmente, o próprio organismo consegue se livrar dos vírus. O problema é quando a infecção se desenvolve.

Como eu sei se tenho o vírus?

Alguns vírus HPV causam verrugas na região genital. Outros são assintomáticos, como é o caso dos tipos que causam câncer. Esses só podem ser detectados por um exame feito no ginecologista.

Como funciona a vacina?

A vacina previne contra a infecção de quatro tipos de vírus, dois deles muito relacionados ao câncer e outros dois  responsáveis por causar verrugas genitais. A vacina é dada em três doses: você deve tomar uma dose, em dois meses tomar a segunda e em seis meses tomar a terceira. A vacina não oferece nenhum risco de contaminação.

Continua após a publicidade

UPDATE:

A vacinação em 0 – 2 meses – 6 meses é a forma mais amplamente preconizada pelas instituições de saúde pelo mundo. O Ministério da Saúde do Brasil, no entanto, optou por seguir um modelo de vacinação que se apoia em novos estudos feitos pela Organização Panamericana de Saúde: a segunda vacina será dada seis meses após a primeira e a terceira será dada cinco anos após a primeira.

Por que só meninas de 11 e 13 anos vão ser vacinadas?

A vacina é especialmente indicada para adolescentes com menos de 14 anos por dois motivos: primeiro porque nessa idade a resposta do organismo é melhor. Depois porque é mais eficiente em mulheres que ainda não tiveram nenhuma experiência sexual (ou seja, que ainda não foram expostas ao vírus). O Ministério escolheu essa faixa etária para ser trabalhada considerando o custo e o benefício da vacinação. No ano que vem, meninas de 9 e 10 anos também poderão ser vacinadas gratuitamente. Mas qualquer pessoa pode procurar a vacina em clínicas especializadas.

Se eu me vacinar, vai parecer que pretendo perder a virgindade em breve?

Não. Esse receio não tem nada a ver. Vacinar meninas antes de elas iniciarem a vida sexual é uma premissa para a vacina ser eficaz. Garotas adolescentes são o público-alvo da vacina, assim como a vacina da gripe é indicada para maiores de 60 anos.

Se eu me vacinar, vou poder fazer sexo sem camisinha?

Não, de maneira nenhuma. A camisinha previne contra todas as outras doenças sexualmente transmissíveis (como AIDS, clamídia, herpes, gonorreia e sífilis). Além disso, ela previne contra a gravidez. Ou seja, não tem como abrir mão do preservativo.

(FONTES: Neila Speck, professora do Departamento de Ginecologia da Unifesp, e Ministério da Saúde)

Converse com os seus pais e procure informações sobre a vacinação na sua escola. É a chance de afastar de vez o fantasma do HPV da sua vida.

beijos!

Continua após a publicidade
Publicidade