Jovem denuncia violência contra muçulmanos em tutorial fake e viraliza

O vídeo sobre os campos de concentração chineses foi compartilhado no Tik Tok no fim de novembro

No final de novembro, um vídeo de uma garota fazendo o que parecia ser um tutorial de beleza viralizou nas redes sociais. No início, a menina começa ensinando como deixar seus cílios longos, mas, logo depois, o tom muda completamente e o assunto se transforma. Feroza Aziz, a jovem afegã-americana de 17 anos, faz uma denúncia sobre “campos de concentração” chineses, onde cerca de um milhão de muçulmanos vivem em situação de enorme risco. 

“A primeira coisa que vocês vão precisar é de um curvador de cílios – e curvar seus cílios, obviamente”, começa dizendo, mas logo muda de assunto: “Depois, então, peguem o celular que vocês estão usando agora mesmo e pesquisem o que está acontecendo na China. Eles têm campos de concentração lá e estão jogando inocentes muçulmanos lá, separando famílias, violentando pessoas e, muitas vezes, até os matando, os  forçando a comer carne de porco e beber alcoólicas – que são proibidas no Islã – tentando força-los a se converterem para outras religiões“, afirma.

Para quem não sabe, a denúncia da jovem é sobre os uigures chineses, povo de maioria muçulmana que vive em  Xinjiang, no extremo noroeste do país, numa região chinesa autônoma marcada por conflitos separatistas. Já faz algum tempo desde que a imprensa internacional começou a divulgar informações sobre a condição de vida desses cidadãos. Muito triste, né?

Por sorte, os países começam a se unir para tentar controlar a situação. O EUA, por exemplo, aprovou há pouco pelo Congresso americano um projeto de lei que pune violações de direitos humanos na região chinesa. Estamos torcendo para que dê tudo certo! 

Em seu Twitter, Feroza contou que foi bloqueada pelo aplicativo um dia depois de ter postado seu vídeo sobre os uigures. A assessoria do TikTok afirmou que o caso não tinha nada a ver com a denúncia, mas, sim, sobre o conteúdo de alguns outros vídeos publicados.

“Nós não moderamos conteúdo por sensibilidade política. Neste caso, a conta anterior da usuária e seu aparelho associado foram banidos após a postagem de um vídeo de Osama Bin Laden, o que viola a diretriz de banimento do TikTok que inclui imagens relacionadas a organizações terroristas. Sua nova conta e seus vídeos, incluindo o vídeo em questão, não foram afetados”, afirmou a empresa. 

A situação é muito difícil, mas ainda bem que existem jovens como Feroza que estão dispostos a mudar o futuro! 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s