Você

16
11/2007

Menino beija menino

Por por Erika Kobayashi às 13:10

Eu estava na casa de um amigo, com outra amiga. A gente lá conversando, os três tinham bebido um pouco. Ela já tinha beijado algumas meninas e colocou o assunto na roda: perguntou se a gente tinha curiosidade de beijar uma pessoa do mesmo sexo. Eu nunca tinha tido essa vontade, nem meu amigo. Ela deu uma agitada, falou que gostaria de ver dois caras se beijando. E aí a gente ficou. De sopetão. Assim, para experimentar. Ficamos nós três. Depois disso, eu fiquei com outros caras. Tô namorando uma garota há dois meses e meio. Ela já beijou mulher. A regra do namoro é a seguinte: só podemos ficar com outras pessoas do mesmo sexo: ou seja, ela pode ficar com meninas, e eu com meninos. De boa." A história da primeira vez em que Rodrigo*, 17 anos, São Paulo (SP), beijou um garoto é praticamente a mesma contada por Marcelo*, 15, de São Paulo (SP). Tudo começou com um beijo triplo (dois caras e uma menina), na casa de um deles. "Eu já tinha pensado sobre o assunto. Estava ficando com ela e ele entrou no meio. Depois disso, tudo continuou normal entre a gente", diz Marcelo, que ficou mais uma vez com outro cara, só que num churrasco. "Todo mundo estava se beijando quando ele chegou em mim."

Viva a tolerância

Marcelo não se diz gay. Mas não vê nada de mais em beijar outro cara. Sua única condição é que não dá para fazer isso em qualquer lugar. A maioria dos amigos dele não sabe disso: "Eles iriam zoar. Não entendem que a gente quer experimentar". E, se é para experimentar, ninguém anda muito a fim de dizer que faz. Os moleques com que falamos até topam conversar sobre o assunto e não têm vergonha de contar os casos. Só não topam divulgar o nome na revista.

Não passava das 11 da noite de um domingo quando Marcelo foi entrevistado. A matinê era uma balada moderninha como tantas outras que rolam em São Paulo e no Brasil. A entrada custa R$ 15 - "Mas quem está de All Star paga 10", avisa o hostess. Que ótimo.

Na pista, Marcelo circulou em algumas rodinhas, dançou com um cara, depois com uma menina, depois com os dois. Ele prefere ficar com meninas, mas não descarta a possibilidade de beijar meninos. "Não tenho preconceito." Única ressalva: para ele, isso só acontece entre amigos. "Não chegamos em desconhecidos."

É claro que nem todo garoto que experimenta gosta. Nem por isso se arrepende ou sai por aí falando mal dos que fazem. "Foi para matar a curiosidade, mas achei muito estranho. Não faria de novo", diz Diego*, 17, de São Paulo (SP).

O clima da tolerância e da experimentação está na boca não só de quem freqüenta baladas em que rola beijo entre pessoas do mesmo sexo. Basta procurar na internet: vídeos, comunidades no Orkut e fotologs sobre o tema. Com comentários de gente que beija e curte, que não beija e curte, e de quem não beija, mas respeita. Muita gente falando que é modinha (ou ainda, que é uma modinha específica da galera que curte emocore). E muito mais gente celebrando a chance de fazer o que bem entende.

O que elas pensam

"Acho bonito", diz lah, 19 anos, de São Paulo, que preferiu ser identificada pelo seu nick. Em novembro de 2004, lah criou o fotolog /kiss_boys_kiss, que já recebeu mais de 400 mil visitas. Uma parte dos comentários postados ali são de garotas que acham legal ver os caras se beijando. "Elas preferem fotos de garotos americanos, bonitos, com franjinha", conta Iah. Veja o que pensam outras meninas, de todo canto do Brasil, sobre o que já se acostumaram a ver na balada.

Achei bonito

"Nunca vi ao vivo dois caras se beijando - tenho até vontade, mas não sou de ir muito para balada, principalmente a do tipo alternativo, que é onde mais acontece. Já vi esse tipo de beijo na internet em fotolog, em vídeos, e achei bonito. Fiquei amiga de um casal de garotos depois de ter visto a foto deles se beijando na internet. Nos falamos por MSN. Falei que foi muito legal os dois terem assumido, mais pelo lance da coragem mesmo."

Meyre Louise dos Santos, 15 anos, São Paulo (SP)

A gente olha mesmo

"Eu não conhecia meninos que se beijavam quando entrei na comunidade do Orkut pela primeira vez. Achei meio estranho, mas depois vi um fotolog, um vídeo... E comecei a achar interessante. Quando comentei com algumas amigas, elas acharam meio nojento. Depois, passaram a achar normal e algumas até gostam de ver os caras se beijando. Mas ver ao vivo é diferente. Na primeira vez que vi dois meninos ficando, parei para olhar... Acho bonito. Não tenho nada contra. Se os caras são bonitos, a gente olha mesmo."
Karen Ferreira Kasamatsu, 15 anos, São Paulo (SP)

Fiquei chocada - depois me acostumei

"Até um tempo atrás, ninguém admitia que beijava pessoas do mesmo sexo (só se fosse gay assumido). Por isso estranhei quando vi vários caras se beijando nos fotologs. E fiquei chocada a primeira vez que vi em uma balada. Depois me acostumei. Isso deu liberdade para quem gosta poder assumir. Tenho um amigo que fica com outros caras. Só acho que tem muita gente que faz por modinha, para ser pop. É meio ridículo fazer isso só para chamar atenção."
Marcela Travassos, 14 anos, São Paulo (SP)

É modinha

"Quando comecei a freqüentar baladas alternativas, via dois caras se beijando e achava legal, diferente. Já achava bonito quando eu via no seriado [Queer as a Folk]. Na balada, eu entrava no meio, curtia beijo triplo. Agora ficou uma coisa normal, não tem mais graça. Acho que a galera está exagerando. Tá tudo meio forçado, estão se beijando por modinha. Prefiro quando é natural."
Márcia, 17 anos, São Paulo

É interessante

"Sou bem eclética, freqüento várias baladas e já vi dois caras se beijando em uma balada normal, que não era underground. Não é sempre que acontece, vi só uma vez. Vai rolando meio escondido. Tem um shopping aqui perto em que já vi algumas vezes. Tem gente que bebe e faz por curiosidade. Ahhh... É interessante ver os caras! Rola uma outra química, os gestos são diferentes. Não sei se ficaria com um cara que beija outros caras, mas respeito."
Amanda Nonn, 14 anos, Brasília (DF)

Acho natural

"Já vi rolar beijo de três garotos ao mesmo tempo. É um comportamento que está na moda tanto para meninas quanto para meninos. Acho natural. Vejo que, às vezes, beijam por beijar, sem ter amor ou atração pela pessoa. Alguns são espontâneos, mas outros fazem para mostrar que são liberais, os 'posers'."
Natasha Belfort, 15 anos, da Galera CAPRICHO

Supernormal

"Aqui em Teresina rola essa onda de beijo. Acho supernormal. Acho carinhoso, por exemplo, cumprimentar uma amiga com um selinho. Já fiz isso algumas vezes. Os caras que beijam outros caras devem ter a mesma visão que eu. É bacana se rola algo natural entre eles. Vale a experiência, né? Descobrir suas vontades. Só com atitude mesmo para saber o que você quer. Acho importante falar sobre esse assunto para quebrar preconceitos. Temos muito a aprender ainda."
Patrícia*, 15 anos, Teresina (PI)