O que realmente deve mudar no ‘novo’ Ensino Médio

Um resumão - daqueles que você curte e pode confiar - para te ajudar a entender o assunto de um jeito prático. Acompanhe as novidades no site CAPRICHO!

No começo da semana, foi noticiado que Michel Temer, Presidente da República, havia assinado uma Medida Provisória que, aos poucos, irá transformar o atual modelo de educação implementado no Ensino Médio, no Brasil. A mudança, que deve se tornar efetiva apenas em 2018, com turmas completas já sob o novo molde, deu o que falar. Muitos alunos curtiram esse modelo de ensino mais americanizado, em que o aluno tem liberdade (dentro do que for pré-estabelecido pela instituição) para escolher as disciplinas que deseja cursar. Outros, porém, se posicionaram contra a mudança e acreditam que ela só vai tornar a educação menos eficaz, tanto nas escolas públicas quanto nas privadas.

O que realmente pode mudar no 'novo' Ensino Médio

A principal diferença proposta pela MP é justamente a flexibilidade da grade curricular. Hoje, alunos do Ensino Médio devem cursar 13 disciplinas em três anos. Depois que a medida deixar de ser provisória, os estudantes só terão algumas disciplinas obrigatórias, como, por exemplo, matemática e língua portuguesa. Rosseli Soares da Silva, secretário de educação básica, em entrevista à Folha, nega que isso irá acontecer. Contudo, o texto assinado por Temer parece deixar claro que algumas matérias, como artes, só continuarão fixas nos ensinos Infantil e Fundamental.

Confira abaixo um breve resumo contendo as principais futuras mudanças que ocorrerão no ‘novo’ Ensino Médio brasileiro:

1. Somente o primeiro dos três anos serão iguais para todos os alunos, como já acontece em algumas faculdades e universidades, cujo primeiro ano é bastante genérico e os outros, mais especializados;

2. Nos dois anos restantes, o estudante poderá se aprofundar em cinco áreas específicas. Serão elas: linguagens, matemática, ciências humanas, ciências da natureza e ensino técnico;

3. Disciplinas como arte e educação física serão facultativas, ou seja, os alunos poderão escolher se irão cursar ou não (infelizmente, na prática, isso meio que já acontece, né?);

4. A carga mínima de 800 horas anuais deverá ser ampliada aos poucos para 1.400 horas anuais. Logo, os alunos terão sete horas de aula por dia (período integral);

5. O ensino médio poderá ser organizado em módulos. O que isso significa? Que a sua melhor amiga poderá ter um módulo diferente do seu, se ela for mais exatas e você, mais humanas;

6. O aluno receberá um certificado a cada módulo concluído;

7. Aulas de inglês passam a ser obrigatória. Antes, elas eram facultativas no currículo e muitas escolas não tinham;

Queremos saber de vocês, estudantes, o que acham da nova medida? Será que ela realmente vai entrar em vigor da forma como imaginam? Ela vai melhorar a educação no Brasil?

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. V. Roberta Q

    Finalmente, aulas de inglês obrigatórias! E acho que isso é super incrível para quem de fato, quer tirar uma nota maior no vestibular, onde dependendo da área, o peso das matérias mudam. Se essa medida provisória ficar, maravilhoso❤

    Curtir

  2. Larissa Galvão Lobo Sampaio

    Não entendi direito, inglês é obrigatório ou língua estrangeira é obrigatória? Porque se for só inglês é uma péssima mudança, o aluno tem que ter mais opções. Eu por exemplo, amo espanhol, não por ser fácil(até porque quem achar a gramática de espanhol mais fácil que a de inglês é um gênio), mas por eu gostar mesmo. Agora estou aprendendo francês, tenho a maior vontade de aprender outros idiomas, entretanto, nunca senti prazer em estudar inglês, e eu me revoltaria se fosse obrigada a aprender só inglês…

    Curtir

    1. Inglês será obrigatório e espanhol opcional, você que escolhe.

      Curtir

  3. As escolas em horário integral é ótimo, porém, vamos ser realistas, não estamos nos EUA, o Brasil não tem estrutura para isso. Nas capitais as salas estão sempre lotadas, às vezes, faltando carteiras, então é impossível juntar os turnos da manhã e tarde para os alunos ficarem nas escolas em horário integral. Outro detalhe é que, a grande maioria vai optar pelas matérias mais fáceis e os vestibulares não perdoam, muitas vezes cobrando assuntos a nível superior. Os professores, que em grande parte já são “despreparados” para dar aulas, vão ficar mais perdidos ainda. Resumindo, vai se tornar um caos.Com o Brasil, na situação que se encontra, é literalmente impossível criar um sistema nesse nível, o Temer deveria incentivar mais os alunos, para que estes queiram estudar.

    Curtir

    1. Thamires Barbosa

      Em relação ao colégio integral se você parar pra pensar já existem muitas escolas de referência que são integrais, eu mesma estudei em uma e não me faltou nada, nem material, muito menos cadeiras pra sentar, e isso aí também é uma forme de meio que obrigar os gorvernos e as prefeituras a melhorar as escolas para essa adaptação, e em relação ao vestibular sim muitos vão escolher as mais fácies porém vão deixar estudar quem realmente quer alguma coisa e por melhor que seja só passaram os melhores e os mais esforçados e não os que precisam passar 24 horas por dia estudando pra passar numa prova que não consegue estabelecer um conceito concreto sobre o que espera do aluno.

      Curtir

    2. Acho que o que as pessoas não estão entendendo, é que não haverá matéria mais fácil… Todos irão cursar as mesmas cadeiras (matemática, português…), porém, poderão organizar e escolher algumas não obrigatórias, assim como nas faculdades, por exemplo. Eu particularmente acho que esse sistema americanizado deve funcionar, mas devia ser implementado com mais alguns atrativos para o aluno. Nos EUA as escolas públicas possuem quadras, cursos de música e estruturas que dão prazer ao aluno em estar naquele ambiente. Vamos ser realistas e observar que o povo de vários países desenvolvidos tem orgulho de estudar e buscam ser o melhor da turma, etc. Aqui, todo mundo quer “coçar” e ninguém tá aí, por o que entendi, querem forçar os adolescentes a estudarem porque o nível aqui é RIDÍCULO. Certo que existem pessoas com dificuldades e escolas sem estruturas e isso deverá ser cuidado, se não, não vai funcionar.

      Curtir

      1. Outra coisa, na maioria das escolas públicas aqui do Brasil, educação física é futebol e meninas sentadas. Aula de artes é composta por conversa, etc. Acredito que essas disciplinas sendo optativas, deverão acolher os alunos realmente interessados nessas áreas. No fundamental não tive filosofia, só no médio. Se aplicada a filosofia no fundamental não faz diferença ter no médio, vai ter igual. Se na escola de alguns essas cadeiras funcionam, ótimo! Aposto que sendo optativo, será muito bem vindo igual! Nos EUA, tem VÁAAARIAS cadeiras optativas bem interessantes e não deixam de ser importantes, mas vamos ENXERGAR a nossa realidade. Não adianta falar que educação física vai fazer falta se a maioria dos alunos NÃO FAZ NADA nessa aula.

        Curtir

  4. Caroline Peruch Souza

    Isso não vai fazer quem não quer estudar estudar e cada vez mais cedo teremos q decidir q faculdade iremos fazer.

    Curtir

  5. Helena Padilha.

    em 2018 etárei no 8ano e estou louca para essas mudanças vai ser muito bom.

    Curtir

    1. Gabriela Silva

      é só a partir do 1 ano

      Curtir

    2. Isabele De Lima Nascimento

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Curtir

  6. Samyra Dettmer

    eu n gostei disso,eu estudo de manha,pensa ficar o dia inteiro na escola e sem poder curtir um pouco a vida, eu n gostei dessa lei.tomara que n entre em vigor

    Curtir

    1. Lavinya Brito Souza

      Vc sabe que sao apenas mais duas horas, ne?! Ja fazemos 5, pra 7 nao tem tantaaa diferenca

      Curtir

  7. Aline De Oliveira Pereira

    Ano que vem acabo a escola, mas fiquei triste com essas mudanças, espero que elas não aconteçam.
    Artes, ED.F e física são algumas das milhas matérias favoritas, não por serem fáceis, mas sim porque quero fazer faculdade de publicidade,
    e na aula de artes é aonde eu me encontro.

    Curtir

  8. Brenda Marçal

    Eu sempre falava sobre isso , sempre mesmo , sempre achei um modo mais eficaz ( minha opinião ) , sempre quis mesmo que o Brasil aderisse a esse modo , quando eu soube fiquei muito ” wooooul ” , mais na minha opinião isso é ótimo porque vai otimizar e desenvolver os alunos mas em outro ponto não vejo que o ensino brasileiro ta pronto para aderir a isso , essa nova MP é boa ? Siiim , mas eu acredito que deve modificar desde a base ( ensino fundamental I e II ) para quando chegar no médio o aluno já ter uma bagagem incrível !

    Curtir

  9. AmandaThomaz Cavalcanti

    Se ja é difícil escolher a sua faculdade no último ano, como os adolescentes vão saber a sua área se não experimentarem todas as disciplinas? Isso é um absurdo!

    Curtir

  10. Mariana Luiza

    Uma tremenda palhaçada.
    Nunca fui boa em exatas por exemplo, mas sempre me obriguei a estudar por conta dos vestibulares e enfim, por conta da cobrança. Mas hoje vejo como isso me fez bem. Se não fosse obrigatório? Eu ia tá pouco me lixando. Ia me concentrar nas matérias que gosto e etc mas não ia aprender as outras coisas que são necessárias. E educação física é importante sim! Para o desenvolvimento dos adolescentes que hoje com toda essa tecnologia estão se tornando cada vez mais sedentários. A arte é muito importante para incentivar nossa criatividade.

    Curtir

  11. Laura Salgado

    A vida não é feita só do que a gente quer, adianta eu querer ed. Física e não cair no vestibular? Eles preparam a gente de escola publica p tomar no c*. Sabem que ngm quer estudar e ainda dão a oportinidade de deixarem por conta própria.

    Curtir

  12. São mudanças muito estratégicas, de fato. Estratégicas para quem? O governo, atualmente ilegítimo. Todos aqueles que querem se manter no poder precisam dominar as massas. A forma mais prática? Evitar que essas mesmas massas tenham acesso à educação que seja capaz de fazê-los críticos ao que acontece ao seu redor. Jovens não tem a maturidade capaz de escolher o que é melhor para eles, e é obvio que vão querer fugir daquelas matérias consideradas “chatas”, “inúteis” (história, filosofia, sociologia) e vão querer outras. Resultado? Teremos um povo técnico, que dominarão a parte prática de produção do país, sem ao menos terem conhecimento para questionar o que lhes acontece ou as injustiças sociais que os cercam. Em resumo, teremos muitas pessoas sabendo muito, mas pensando pouco. Ou seja, máquinas. O que é perfeito para um governo que sabe muito bem o que está (e não deveria) fazendo.
    http://ilacamiblog.wordpress.com

    Curtir

    1. “Jovens não tem a maturidade capaz de escolher o que é melhor para eles.”
      1°- Não subestime os jovens.
      2°- Então como na Europa, América do Norte e países bem desenvolvidos esse método funciona? 3°- Não generalize algo que você faria.

      Curtir

    2. Vamos para o choque de realidade: O povo brasileiro tem um “saber” muito precário, independente das estruturas escolares ou do seu lar. Precisamos de um método de ensino mais rigoroso. Claro, que todas as dificuldades enfrentadas pela população devem ser observadas em conjunto com este método (porque temos um nível de desenvolvimento precário também). Mas em muitas escolas temos aulas em que não se faz nada, literalmente. Com uma grade e cadeiras optativas, estaremos colocando quem realmente está interessado em uma aula que será mais produtiva, e apesar disso, todos terão mais ou menos as mesmas cadeiras.

      Curtir

  13. Simplesmente amei. Espero que dê certo no Brasil e que daqui pra 2018 construam mais escolas pq talvez não haverá espaço para “juntar” turnos. No ensino fundamental ll aprendemos o básico, reforçado e util de matemática, português e biologia, agora no ensino médio podemos ficar no que realmente nos interessa de verdade. Odiava física, não lembro de quase nada que aprendi e não uso 85% do que decorei sobre ela hj em dia e nunca usarei. Aprender o básico e util, ok, mas coisas mais profundas que so usarei na hora da prova e nada mais, não.

    Curtir

  14. Beatriz Caroline

    Do jeito que foi abordado o assunto aqui, até parece que a mudança vai ser boa, um exemplo. Como se tirar o nosso direito a atividade física no colégio, nosso direito à termos nossas próprias opiniões e estudar a tão fascinante arte fosse uma bom modelo de educação.

    Curtir

  15. Isabeli Lopes

    Eu amei essas mudanças. As escolas vão seguir um padrão bem parecido com o americano, o que eu acho ótimo. Eu estou fazendo intercâmbio, e amo o jeito que a escola funciona aqui. Mas o Brasil vai ter que trabalhar muito duro pra fazer esse sistema funcionar, vai ter que mudar muitas coisas, ou então esse novo modelo só vai piorar as coisas.

    Curtir

  16. Stefhany Dias

    Tudo tem um processo de adaptação, e não custa nada tentar, eu realmente acho uma ótima ideia essa mudança.

    Curtir

  17. Isabela Colombo

    Não é defendo nem um partido.. mas creio que daqui pra 2018, tem uma quantidade de tempo razoável para haver grandes mudanças no nosso país e deixar a educação (que todos presam por melhorias) de fora seria um erro.. Acredito que se isso for mesmo se tornar uma realidade, as mudanças deveriam começar desde de agora, como melhorar a infraestrutura dos colégios para abrigar tantos alunos e em tempo integral. E forçar aos alunos a assistir matérias que não se identificam é um erro, mas força-los a escolher uma área tão cedo também é errado, o que devia haver é a possibilidade de aprofundar mais em alguns áreas e mesmo assim continuar tendo o básico (que é a realidade em escolas publicas).. Como exemplo, continuar tendo física, química, geografia, historia, biologia, matemática e português , só que como é tempo integral, o aluno poder fazer uma aprofundação, tanto em exatas, humanas, biológicas, musica, etc.

    Curtir

  18. Glaucia de Carvalho

    Nesse momento eu gostaria de voltar ao ensino médio

    Curtir

  19. grazielle Aparecida

    Eu acho sinceramente um lixo, eu sou menor aprendiz e ajudo em casa igual vários outros menores, e com essa lei não vai dá pra trabalhar tirando algo bom de um classe social menos desfavorecida, sem contar e o salário dos professores ele não pensam em aumentar não né ? Agora subir a carga trabalhista deles pode né, ficar 7 horas na escola só vai gerar mais falta de vontade de estudar sinceramente.

    Curtir

    1. Naara Menezes

      Concordo, tempo integral só se aumentar o triplo do salário dos professores. Ninguém merece aumentar a carga horária com o mesmo salário miserável que eles tem.😦

      Curtir

      1. Gente, pelo amor! Óbvio que os profs vão ter a mesma carga horária, eles vão ter que arrumar os módulos de forma que caibam nas horas previstas na CLT! Não falem bobagem, plsss! Ou deverão contratar mais professores.
        Esse negócio de reforma da CLT para prejudicar tbm é boato! Gente, pls.

        Curtir

  20. Naara Menezes

    Em relação as matérias opcionais, achei que não faz muita diferença em algumas escolas ter ou não, na minha por exemplo artes e ed. Física é só perda de tempo. Se for bom nas escolas particulares é simples, deixa as materias lá. -.-

    Curtir

  21. Laire Medeiros

    Eu adorei! Ensino integral passar mais tempo na escola além de se aprofundar mais em matéria que precisaremos na faculdade,( só acho que para ficar completo também podiam botar aqueles armários super legais né? kkkk) e o inglês ótimo porque na maioria dos empregos é preciso saber a Língua Inglesa e é claro se algum dia vc quiser viajar para fora do país. Amei!

    Curtir

  22. so falto fala q a medida nao é so isso, q as mudancas nao sao so nas aulas, mas tambem nos professores. Na medida ha algo q eles chama de Notorio Saber, oq significa q os professores agora nao precisam ser formados com licenciatura, mas sim, qualquer um q tiver o “notorio saber” podera lecionar na area. Por exemplo, um engenheiro podera dar aula de matematica, mesmo nao sendo formado e licenciado em matematica. Isso é muito problematico. Acredito que antes de sair falando q é tudo uma maravilha, é bom ler a MP e saber oq realmente esta por tras disso, pq é muito alem de “o aluno escolher oq quer estudar”

    Curtir

  23. Monika Sampaio

    Eu gostei bastante da nova lei. Quero que ela entre em vigor logo. Já que vou estar no terceiro ano do ensino médio, ano que vem e se não entrar rápido em vigor, não aproveitarei. Uma coisa que eu não gostei é que as pessoas que estão terminando deram “desvalorizadas”. Como assim? Elas serão desvalorizadas no sentido de não teram módulos, igual os que estaram cursando o primeiro. Então teram que fazer cursos, para cobrir os módulos que não tivemos. Ou seja estudar muito mais, para cobrir o tempo que perdemos pela educação com baixa qualidade. Trágico, porém fico feliz pela mudança. Pelo visto, os jovens estão começando a ser valorizados.

    Curtir

  24. Paula Araujo

    Só acho ruim porque eu ja vou ter formado quando for posto em pratica,,, sempre quis esse modelo, que n obriga o aluno a frequentar aulas que ele nao se sente apto e alem do que essas aulas n rendem nada

    Curtir

  25. Gabriele Gomes

    eu estudo em período integral (8 horas por dia) e não é tao ruim assim.Tornar artes uma matéria não obrigatória é a mesma coisa que tira-la da grade curricular pois não sendo obrigatória as pessoas nao vao sentir a necessidade de participar da aula

    Curtir

  26. Duda Damazio

    Eu gostei muito, claro o Brasil não pode ter uma base muito boa pra receber esse método de estudo, mas temos que ser otimistas. E também se pararmos pra analisar, se escolhermos as matérias que estamos realmente afim de fazer, vamos ter um ensino melhor, vamos focar mais, vamos realmente aprender o que queremos. E vamos ter no 1 ano todas as matérias, vamos ver a que gostamos e que não gostamos pra escolher…

    Curtir

  27. opcional. Sinceramente, não vou usar isso na minha vida profissional. Se todas as escolas do ensino médio forem integrais, eu não vou mais a escola

    Curtir

    1. *não quero estudar em período integral, esse é um direito meu! e também não quero estudar inglês. isso deveria ser opcional. Sinceramente, não vou usar isso na minha vida profissional. Se todas as escolas do ensino médio forem integrais, eu não vou mais a escola

      Curtir