Manu Gavassi fala sobre bullying: “fui ignorada no colégio”

Fotos: Daigo Oliva

“Tive até que mudar de escola. Foi muito difícil”, disse Manu Gavassi ao lado da editora de comportamento da CAPRICHO, Isabela Noronha, e da pedagoga Cleo Fante.

A cantora teen Manu Gavassi, aos 17 anos, também é vítima de bullying na internet. Hoje em dia, ela não se chateia muito com os comentários maldosos, que vieram de brinde com a fama, mas isso nem sempre foi assim.

“Claro que existe a crítica construtiva, mas existem muitos invejosos também. Eu ficava triste antes, mas hoje sei diferenciar e tento não ligar. Agora entra por um ouvido e sai pelo outro, sabe?”, disse Manu.

CAPRICHO conversou com alunos sobre bullying hoje de manhã…

Tudo rolou durante uma visita da CAPRICHO ao Colégio Lourenço Castanho (SP), hoje de manhã, com os alunos do 9º ano.

A ideia era responder as dúvidas dos alunos e bater um papo sobre o assunto que está machucando adolescentes mundo afora.

Manu também contou que, aos 13 anos, no colégio, toda vez que ela se aproximava de algumas amigas, elas viravam a cara sem motivo algum. “Foi um período curto e tive que mudar de escola. Foi muito difícil”.

O grupo de teatro Protótipo encena algumas situações de bullying…

Alunos levantam a mão para tirar dúvidas durante o bate-papo…

Você pode estar contribuindo para o bullying sem saber…

Já ouviu falar do espectador do bullying? Quem não pratica e nem sofre agressões verbais, mas vê isso acontecer e ignora totalmente está contribuindo para que coisas do tipo aconteçam novamente.

Não é legal dar risadas…

Para a editora de comportamento da CAPRICHO, Isabela Noronha, é muito importante não dar risada nessas horas. “O melhor é sair de perto de quem está praticando o bullying e também acompanhar a vítima, ver com ela se está tudo bem, dar atenção e não concordar quando alguém está agredindo verbalmente um amigo da sala”, contou.

“Vocês também precisam contar o que aconteceu para um adulto”, aconselhou a pedagoga Cleo Fante. “O importante é dizer para um responsável. Tem que fazer alguma coisa. O que não pode é se calar”, explicou.

No final do evento, Manu Gavassi foi rodeada por fãs que tiraram um montão de fotos com ela e compartilharam experiências de bullying parecidas.

Será que a CAPRICHO vai ao seu colégio falar sobre bullying também?

A tour continua! Semana que vem é a vez do Escola Morumbi, em São Paulo.

#diganaoaobullying

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s