Formação técnica profissionalizante é alternativa à faculdade

Ser a sua #GirlBoss e trabalhar com maquiagem parece incrível, não?

Como será ter uma carreira consolidada sem ter feito faculdade? No Brasil, isso ainda parece loucura, pois valorizamos muito as universidades e o diploma, mas nem sempre é assim. As formações técnicas profissionalizantes são uma boa alternativa para quando você ainda não tem tanta certeza do que fazer ou simplesmente quando sua vocação não exige tal obrigatoriedade. Veja, por exemplo, os maquiadores. Não existe uma graduação superior voltada exclusivamente para a maquiagem, mas há cursos técnicos aclamadíssimos que fazem as vezes da tal. Giselle Welter, psicóloga, mestre e consultora de orientação de carreira do quadro “Qual Vai ser?”, do programa Como Será?, da Rede Globo, esclarece as principais dúvidas sobre o assunto.

Formação técnica profissionalizante é alternativa à faculdade

(Pinterest/Reprodução)

1. Quais são as carreiras que não exigem ensino superior de maior destaque atualmente?
Para começo de conversa, Giselle explica que muitos cursos técnicos têm graduações correspondentes em faculdades, então vale a pena o estudante checar e avaliar em qual investir. “Como os profissionalizantes são de curta duração e de nível superior, pode ser mais interessante, dependendo da área de atuação pretendida”, afirma. De acordo com a psicóloga, na área de tecnologia, cursos como Mecânica, Informática e Programação continuam em alta.  “Na área de saúde e bem estar, destacam-se profissionais como Técnico em Enfermagem, Farmácia e Radiologia. Nas carreiras administrativas, aparecem os técnicos em Administração, Contabilidade, Finanças e Marketing”, finaliza.

2. Fica mais difícil para o profissional encontrar emprego sem um diploma de curso superior?
“Cursar uma faculdade não é garantia de emprego, principalmente em tempos de crise econômica”, garante a consultora, contudo, caso o jovem queira progredir dentro de uma empresa, por exemplo, é interessante que ele faça uma faculdade, pois este é um dos critérios de promoção. “Nada impede, entretanto, que o jovem opte inicialmente por um curso de nível técnico, para depois cursar uma faculdade na área”, afirma Gi. Ou seja, tudo depende. No Brasil, ainda valorizamos muito esse pensamento de que o aluno precisa sair do colégio e já ingressar em uma universidade. Mas você sabia que, na Alemanha, quase metade dos jovens preferem investir inicialmente em uma formação técnica profissionalizante? “Isso contribuiu para uma maior qualificação dos profissionais de todos os ramos de atividades”, justifica a doutora.

Formação técnica profissionalizante é alternativa à faculdade

(Pronatec/Reprodução)

3. Como está o mercado de trabalho para profissionais que não têm curso superior?
A consultora garante que há carência de mão de obra qualificada no Brasil. “Profissionais de nível técnico costumam ser valorizados e a remuneração deles é, muitas vezes, comparável à de profissionais com formação superior”, afirma Giselle, mesmo sabendo que não é possível generalizar.

4. É importante que o profissional continue realizando cursos para se manter sempre atualizado?
Sim, sem dúvida! A duração dos cursos técnicos pode variar de um a dois anos e, apesar de serem bem específicos, é imprescindível que o profissional mantenha-se atualizado até o fim da vida. “Na era do conhecimento, todas as profissões estão sujeitas a avanços e novidades. Uma vez ingressado no mercado de trabalho, é importante continuar investindo na própria qualificação por meio da formação continuada”, dá a dica.

5. Como saber se o local é confiável e renomado?
Em primeiro lugar, o curso técnico profissionalizante precisa ser aprovado pelo MEC. Após ter feito essa consulta, vale a pena visitar presencialmente o lugar sem compromisso, para ver a estrutura do prédio, se ela conta com laboratórios e etc.

6. Muitas vezes, os profissionais acabam se tornando seus próprios chefes. Como abrir seu próprio negócio e quais são as maiores dificuldades disso?
Ser a sua própria #GirlBoss parece uma ideia incrível, mas abrir seu próprio negócio não é tão simples assim. “De cada dez empresas abertas, seis fecham antes de completarem cinco anos”, conta a doutora Giselle. Ou seja, dá para perceber que nem sempre força de vontade basta, né? É preciso dinheiro, planejamento, organização, investimento… Por isso, antes de dar este grande passo, é importante se preparar e cursar um técnico de Administração, por exemplo. 😉

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s