‘A gente não pode se entregar’, encoraja medalhista paralímpica

Em entrevista para o SporTV, Evani Soares e Lais Souza dão lição de superação!

Ao lado de Antônio Leme e Evelyn de Oliveira, Evani Soares, de 26 anos, conquistou medalha de ouro na final de duplas mistas classe BC3 da bocha, nas Paralimpíadas Rio 2016, uma medalha inédita para o Brasil! Em entrevista emocionante ao SporTV, a campeã deu uma declaração que fez tudo fazer sentido: “O que me incentiva é mostrar para outros cadeirantes que nada é impossível. Você não pode ficar em casa, se entregar“, afirmou.


Foto: Reprodução/SporTV

Quantas vezes você não escutou que as Paralimpíadas são uma frescura? Que ninguém assiste? Que só dá gasto? Absurdos como esses chegam até a gente diariamente – e não só em épocas de competições. No dia a dia, escutamos comentários preconceituosos, vemos o quanto nosso país não é preparado para atender às necessidades de, por exemplo, cadeirantes, como é o caso de Evani e de tantos outros brasileiros. Brasileiros como a ginasta Lais Souza, que viu sua realidade mudar após sofrer um acidente, em 2014, que a deixou tetraplégica.

Na mesma entrevista para o canal SporTV, a atleta paralímpica incentivou Lais a voltar para o esporte. “Até então eu não sabia que podia”, confessa Evani, que descobriu na bocha uma maneira de se superar todos os dias. “Acredite, você pode”, incentivou a medalhista.


Foto: Reprodução/SporTV

Aliás, você também pode! Toda vez que alguém tentar argumentar contra as Paralimpíadas, você pode fazer a sua parte e mostrar para essas pessoas como o esporte muda vidas! “Eu chorava  quando eu via você na televisão, ali no pódio, e me passou isso na cabeça também”, emocionou-se Evani em bate-papo com a ex-ginasta, lembrando do momento em que conquistou medalha de ouro inédita para o Brasil.

Quem sabe Lais Souza não se anima com o título e entra para a equipe brasileira de bocha? Estamos na torcida!

 

+ Leia mais: ‘Não seria metade do que sou’: amizades fazem toda a diferença na vida da cadeirante Ana Clara Moniz

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Ao lermos essa notícia, podemos reconhecer que os atletas paraolímpicos não recebem o seu valor merecido, tendo a indiferença da mídia, como se fossem opostos dos atletas olímpicos. Com o depoimento da entrevistada Evani Soares, vemos esta diferença apresentada em nosso dia a dia. Ela e outros desses atletas nos mostram exemplos de superação e esforço, ela além de nos mostrar que podem alcançar seus objetivos sem ter a influencia da deficiência física, “a gente não pode se entregar”, esta é uma ótima fala da medalhista que encoraja os outros atletas, mostrando como eles, assim como os outros, merecem reconhecimento.

    Curtir