8 séries americanas que são remakes de britânicas

Depois do cancelamento dos shows da Adele, só me resta assistir a TV britânica

Infelizmente eu sou uma das milhares de pessoas que estão em Londres para assistir aos últimos dois shows da Adele que foram cancelados. Estou arrasada? Claro. Mas voei até aqui, do outro lado do oceano, e não poderia deixar de curtir essa cidade maravilhosa que parece que saiu de uma série de TV.

(Divulgação/Divulgação)

As séries britânicas são tão boas (quando não melhores) do que muita série americana (das quais eu acabo falando muito mais por aqui). Tanto que muita série americana é baseada e/ou inspirada em séries britânicas.

Aqui eles não chamam as temporadas de “season” mas de “series”. Não é somente o sotaque que é marcante, mas o ritmo que realmente é mais profundo, pensativo, com menos episódios e um humor super ácido. Existem muitas séries britânicas maravilhosas, mas aqui estão as que foram “traduzidas” para os Estados Unidos:

1) The Office

(NBC/Divulgação)

Esse talvez seja um dos casos mais conhecidos. O personagem de Steve Carell, o maravilhoso Michael Scott, é baseado em David Brent, de Ricky Gervais. E na versão britânica quem interpretava o Jim, o personagem de John Kransinki, é fenomenal Martin Freeman e o personagem se chamava Tim. A versão britânica está disponível na Netflix e vale a pena se você ama a versão americana tanto quanto eu.

2) Skins

(Divulgação/Divulgação)

A MTV tentou fazer uma versão americana dessa série que é um fenômeno na Inglaterra. Apesar de ser uma série que funcionava melhor no tom britânico, o fato da americana ter sido cancelada bem cedo foi porque já existia uma base bem expressiva de fãs americanos que acompanhavam a versão britânica. Alguém aqui no Brasil assiste Skins?

3) Shameless

(Showtime/Divulgação)

Eu AMO a versão americana. É uma das séries mais ousadas, profundas, cheia de humor bizarro e drama pesado que me faz rir e chorar em quase todo episódio. O trabalho de William H. Macy como Frank Gallagher é simplesmente brutal e Fiona, vivida por Emmy Rossum, é algo surreal. A versão britânica serviu super de inspiração, até mesmo “emprestando” diálogos inteiros. Mas eu amo tanto a americana que nunca consegui assistir a britânica. Talvez um dia.

4) Being Human

(SyFy/Divulgação)

Se você ainda não conhece essa série e gosta do mundo sobrenatural, dá uma pausa aqui e vai assistir. No começo eu achava mais uma série de vampiro e lobisomem, mas não esperava ficar tão envolvida nessa história fofa de amizade e diferenças. Acho que a versão americana me pegou por causa do carisma dos protagonistas e a versão britânica tem os mesmos três, mas é bem diferente em estilo e química entre eles. Tanto que tem um final completamente diferente, como se fossem duas séries que tem o mesmo tema por coincidência.

5) Queer As Folk

(Showtime/Divulgação)

A primeira temporada de tanto a versão americana quanto a britânica são praticamente iguais. A série mostra a vida e os dramas desse grupo de amigos gays, mas depois da primeira temporada, a versão americana encontrou o tom próprio e durou uns anos a mais que a versão original.

6) Gracepoint/Broadchurch

(FOX/Divulgação)

Quão maravilhoso é quando eles usam o mesmo ator? David Tennant, que você deve conhecer como o maravilhoso Dr. Who ou Kilgrave de Jessica Jones, é o mesmo detetive tanto na versão britânica, que chama Broadchurch, quanto na americana Grace Point. A série mostra um assassinato misterioso de um menino em uma cidade tranquila.

7) House of Cards

(Netflix/Divulgação)

Sim sim, a série original da Netflix não é 100% original. Existe a britânica House of Cards, que serviu de inspiração para a série de Beau Willimon. Inspiração porque apesar de ter o tema igual, muita coisa é diferente em trama e tom, afinal, Frank Underwood seria muito diferente no parlamento inglês do que é na Casa Branca.

8) Veep/The Thick of It

(HBO/Divulgação)

Fiquei chocada quando soube que rolou uma inspiração na série com Julia Louis Dreyfus. Mas se parar para pensar, realmente o tipo de humor de Veep é diferente de quase tudo nos EUA e muito similar com o humor britânico. Talvez por isso tanto sucesso. A série que serviu de inspiração chama The Thick of It e foi escrita, dirigida e produzida por Armando Iannucci, o criador de Veep. Ou seja, ele transportou o universo da Inglaterra para os Estados Unidos.

Assiste alguma delas? Compartilha comigo nos comentários ou vem conversar comigo no Instagram @priharumi | Twitter @priharumi | TV Showtime priharumi

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s