Diga não ao bullying

 diganaoaobullying

23
05/2011

"Mesmo com o fim das agressões, eu não consigo superar o trauma"

Categorias: bullying, Depoimentos, Nas escolas - Por Andressa Fernandes, em 23/05/2011 às 15:30

A leitora M. Y., de 12 anos, mandou seu depoimento pra gente pois estava se sentindo cada vez mais angustiada com os problemas que passou na escola. Mesmo tendo conseguido fazer as agressões pararem, ela continua se sentindo mal.

“Eu sempre sofri bullying, tanto que eu já tive que trocar de escola cinco vezes, mas é na minha escola atual que eu sofri as piores agressões. As pessoas da minha sala me xingam, me ameaçam, fazem montagens com as minhas fotos e espalham mentiras a meu respeito. A situação é tão grave que eles até fizeram um abaixo assinado para provar que eu era a menina mais feia da escola. Tinha problemas em contar para os meus pais, pois me sentia muito constrangida com essa situação. Mas tomei coragem e contei para eles. Eles foram até o meu colégio e contaram toda a situação para a direção. A diretora fez com que as meninas que começaram com as agressões me pedirem desculpa. Mas, mesmo com o fim das agressões, não consigo superar e choro muito.”

Casos como o da M. são uma prova de como as agressões podem a magoar a vítima do bullying, mesmo que parem. “As marcas do bullying ficam impregnadas na pessoa, o que pode atrapalhar a sua formação.  Os adolescentes, nessa idade, estão saindo do mundo familiar para se identificar com outros jovens da mesma idade. Quando eles não encontram esse apoio, podem se sentir marcados ou excluídos.”, disse a psicóloga Elizabeth dos Santos Souza. Para superar, é importante contar com o apoio dos pais, e não ter vergonha de se abrir com os verdadeiros amigos.

Você passa por uma situação dessas? Não fiquei calado. Conte o problema para os seus pais e as autoridades de seu colégio e ajude a acabar com o bullying!

Siga CAPRICHO no Instagram Siga CAPRICHO no Tumblr Siga CAPRICHO no Pinterest Siga CAPRICHO no YouTube Siga CAPRICHO no Flickr RSS